Deterioração dos mercados é um processo natural?

stamp_dutyA competição desmedida sempre leva a um natural processo de saturação e deterioração dos mercados? Este questionamento foi feito por um aluno durante uma aula de MBA. O debate acabou resultando em um certo consenso de que há uma espécie de “tragédia dos comuns” (tomando emprestado o conceito ligado à sustentabilidade) para explicar a evolução de um mercado inicialmente viável para um contexto quase que inviável. Alguns pontos para nortear o debate:

1) a hipercompetição em um mercado aquecido leva a uma busca por otimização e reengenharia. Na ausência de respostas mais inovadoras, boa parte dos players tenta uma solução padrão ligada a custos, seja para melhorar sua margem ou para repassar parte dela ao consumidor. Porém essa estratégia padrão ligada a custos quase sempre deteriora o valor da oferta, ou seja, os benefícios pelos quais o consumidor pagava. Neste ponto, estaríamos sim caminhando para um processo natural de deterioração.

2) Quando um nível de oferta se deteriora, em especial pelos processos de otimização em pontos críticos de qualidade (que não necessariamente deveriam ser otimizados!), players mais ousados criam alternativas superiores na tentativa de estabelecer um novo “padrão”. Neste sentido, não necessariamente a competição leva um mercado a deterioração, mas sim a péssima gestão, que a cada nova rodada de “enxugamento”, força a barra de qualidade para baixo e não para cima, reduzindo benefícios e, consequentemente, o valor percebido pelo consumidor.

3) Haveria uma condicional ligada ao nível de prosperidade econômica de um mercado. Mercados com mais restrições, subdesenvolvidos ou de subsistência teriam forçosamente que caminhar nesta direção, pelo seu próprio contexto, enquanto cenários superavitários tenderiam a encontrar um equilíbrio mantendo sua viabilidade. Má gestão ou contexto? Ambos? Debate interminável, porém, muito construtivo! #talk2business