Por que o empreendedorismo e as metodologias ativas são aliados do desenvolvimento econômico? Sobre o projeto Press Start

2018-05-24 12.32.30.jpgNo comando do curso técnico de administração do Colégio João Paulo I desde o início deste ano, tinha pela frente o seguinte desafio: precisamos que nossos alunos estejam preparados, de fato, para o mercado. Mas restava uma pergunta: que profissional é esse? O que de fato o mercado deseja? Será que ele deseja alguma coisa?

Se administradores, em essência, são “resolvedores” de problemas e eternos combatentes na luta contra o caos que insiste em se instalar sempre que um ambiente não é bem gerenciado, eles também são a chave para proporcionar o desenvolvimento.

O desenvolvimento, em todos os sentidos, só pode ser resultado de esforços estruturados e coordenados para conter o caos, criando processos, estruturas e técnicas que garantam replicar atividades que de alguma maneira são importantes para a nossa vida em grupo de forma mais rápida, fácil, menos onerosa.

Neste sentido, o papel de “resolvedor” de problemas não se restringe ao administrador profissional. Qualquer pessoa que seja capaz de criar processos e sistemas em ambientes caóticos está, a sua maneira, contribuindo para o progresso a partir de um esforço gerencial.  Como defende o professor Clemente Nóbrega, “você não precisa de diploma para ser gestor. É o único campo em que a prática deve mesmo preceder o treinamento formal”.

Para nos adequarmos a esta premissa, resolvemos dar uma guinada radical no modelo do curso técnico. A partir de uma avaliação criteriosa de toda a matriz, estamos reduzindo carga teórica e privilegiando o ensino baseado em desenvolvimento de projetos. A esta reformulação, batizamos carinhosamente de Press Start: uma plataforma de ensino ancorada em metodologias ativas para o desenvolvimento de competências, habilidades e, principalmente, atitudes, muitas atitudes. Isso tudo para jovens que ainda não têm como prever qual será sua atuação em um mercado mutante.

2018-05-24 12.41.07.jpg

Voltando ao questionamento inicial: que profissionais queremos formar? Teóricos em administração? Burocratas? Pessoas de pensamento linear? Toda a reformulação conduzida pelo Press Start tem como meta desenvolver profissionais com foco na geração de valor e na solução de problemas. Porque é isso que a economia, e não especificamente o mercado, demanda (para ter um desenvolvimento saudável).

Independente do rumo que tomarão ou da faculdade que escolherão (se escolherem uma), estarão mais preparados para lidar com desafios complexos e solucioná-los. Estamos falando de um curso de Administração, mas o mesmo princípio poderia ser adotado em qualquer área.

O projeto ainda está nos seus primeiros momentos, mas os resultados que já apareceram mostram que temos um caminho promissor pela frente. Uma pequena fagulha em um cenário de trevas que é a educação brasileira. Escreverei mais sobre o Press Start por aqui. Aguardem! #pressstart #talk2biz